As ceramidas, ainda que não tão popularizadas como a vitamina C ou retinol, são um ingrediente com bastante potencial. Apesar de o icónico Advanced Ceramides Capsules de Elizabeth Arden, lançado em 1990, ter esse ingrediente como estrela, apenas mais recentemente as ceramidas começaram a receber a atenção da indústria da beleza.

São proclamadas como os heróis dos cuidados de pele e actualmente já podem ser encontradas em cleansers, máscaras, cremes hidratantes e até em cremes de mãos.

O que são?

As ceramidas são uma família de lípidos (aka óleo ou gordura, como queiram), que constituem a membrana dos corneócitos (células do estrato córneo, a camada mais externa da pele). Além disso, juntamente com ácidos gordos e colesterol formam a matriz lipídica intercelular, o equivalente ao cimento entre os tijolos, sendo os tijolos as nossas células.

As ceramidas são o componente principal dessa matriz, sendo por isso essenciais para manter os níveis de hidratação da pele bem como protegê-la dos irritantes externos. Em resumo, são o principal componente da tão popular “barreira cutânea”, de que tanto se fala hoje em dia.

Como identificá-las?

Muitos dos produtos com a indicação “pele seca” “pele atópica” ou “pele sensível” contêm ceramidas. Podem ser encontradas na lista de ingredientes (INCI) como Ceramide Np, Ceramide Ap ou Ceramide Eop. Por outro lado, as palavras ‘phytosphingosine’ and ‘sphingolipids’, também presente nalguns produtos, são precursores de ceramidas pelo que se pensa ajudarem a promover a produção das mesmas.

Para quem?

Uma vez que as ceramidas são componentes da nossa pele, qualquer pessoa podem usar produtos contendo as mesmas. Serão especialmente benéficas para quem tem a barreira cutânea comprometida, como é o caso da psoríase, rosácea ou dermatite atómica, entre outros. É um excelente produto para quem tem a pele seca e/ou desidratada mas também para quem sofre de acne, que é muitas vezes acompanhado por sensibilidade cutânea, devido ao desequilíbrio da barreira cutânea.

Pelo facto de prevenirem a desidratação é considerado um ótimo ingrediente anti-envelhecimento. Ao manter os níveis normais de ceramidas na pele poderá ajudar a manter a pele firme e preenchida.

Por todas estas razões é um óptimo ingrediente a apostar no inverno, quando a pele tende a ficar mais desidratada devido ao frio e vento.

No geral são bem toleradas e podem ser combinadas com outros ingredientes.

Em que produtos posso encontrar ceramidas?

Apesar de nem sempre estar “estampado” na parte da frente do produto, existem imensos produtos contendo ceramidas.

Aqui estão alguns exemplos (os links apresentados são mera indicação, não estando associados a qualquer afiliação):

Dr. Jart+ Ceramidin Sheet Mask – máscara em tecido, óptima para quando se sente a pele especialmente desidratada. Uma das minhas máscaras de eleição.

Elizabeth Arden Advanced Ceramide Capsules – muito provavelmente o produto pioneiro a dar destaque a este ingrediente. Apesar de o preço pouco acessível à maioria das carteiras (por volta dos 100 euros), não podia deixar de as apresentar pelo seu estatuto irónico.

Paula’s Choice Clinical Ceramide-Enriched Firming Moisturizer – com Retinol e Vitamina C para é um tratamento anti-envelhecimento muito completo.

Cerave Hydrating Facial Cleanser – conhecido por ser um gel de limpeza muito suave, perfeito para as peles mais sensíveis, é também hidratante o que o torna bastante adequado para quem tem a pele seca.

Bioderma Atoderm Intensive Baume – Um creme hidratante e calmante adequado para toda a família. Para além das ceramidas contém também colesterol, que também vai ajudar na recuperação da barreira cutânea das peles mais sensíveis.

Mario Badescu AHA & Ceramide Moisturizer – Adequado a peles oleosas devido à sua fórmula leve e oil-free. Para além das ceramidas, possui alfa-hidroxiácidos e esqualeno, para uma pele radiante.